Pages Menu
Facebook
Categories Menu

Posted on 02/06/16 in Gestão Empresarial

7 mitos sobre negócios online

 

Por Camila Porto

Quando se trata de ter negócios online, a especialista em internet marketing Camila Porto é autoridade, já que alcançou faturamento de R$ 1,5 milhão no ano passado com seu treinamento online, o Facebook Essencial. Sabendo que muitas pessoas ainda sentem resistência em abrir negócios na internet, a empreendedora destaca os 7 mitos que precisam ser desconstruídos para que as pessoas busquem ganhar dinheiro com negócios online.

I. Internet não é lugar só para entretenimento.

Segundo Camila Porto, ainda tem muita gente que acredita que a internet é lugar para “”perder tempo””. A empreendedora lembra, no entanto, que apenas o setor de e-commerce já movimenta 41,3 bilhões de dólares por ano. “”Se contarmos a publicidade online, aplicativos e outros mercados, já podemos ver que tem muito dinheiro envolvido””, destaca. Ela explica que, ao mesmo tempo em que há algumas facilidades no negócio online, como automatizar processos e escalar, também há desafios novos. “”Um empreendedor digital continua sendo empreendedor, o que muda é o modelo de negócio””, resume.

II. Vender na internet não é necessariamente mais fácil

Embora os negócios online permitam que a venda seja efetuada sem a presença de um vendedor, dando mais liberdade de tempo e espaço a quem empreende, Camila destaca que isso não reduz a quantidade de trabalho. “”Vender não é fácil em nenhum lugar””, afirma. Os desafios ficam por conta da produção de textos, imagens e conteúdo que ajudam a atingir mais pessoas.

III. É preciso identificar uma oportunidade de negócio

Quando se trata de empreender na web, Camila ensina que é preciso identificar qual demanda não é atendida. ““O Über, por exemplo, atua no mercado físico, mas toda sua operação é online””, exemplifica. Segundo a especialista, a grande sacada é saber como usar a tecnologia e a internet para resolver um problema real das pessoas. ““Acredito que é preciso estar atento aos problemas que podemos resolver””, destaca, lembrando que hoje em dia há pessoas ganhando dinheiro vendendo cursos online, consultorias e mentorias, ou produzindo conteúdo no Youtube. “”Há quem ganhe dinheiro oferecendo soluções em aplicativos e até com games. Oportunidades não faltam””.

IV. Nem todo mundo vai comprar o que você oferece

Camila destaca que o principal erro de quem empreende na web é não definir o público. “”Muitos acham que todo mundo vai comprar o que se oferece””, alerta. Segundo a especialista, as lojas físicas têm o negócio limitado especialmente pela geografia, enquanto no online isso não existe. “”Mas isso não significa que todos vão comprar””, explica. É preciso conhecer bem o público e focar as vendas para este nicho.

V. A concorrência é mais forte

A autora do livro Facebook Marketing reforça que é necessário ter diferenciais claros que destaquem o negócio específico dos concorrentes. “”No online, há muito mais competição””, destaca. Por isso, Camila ensina que é preciso encontrar uma característica que destaque a sua venda em meio a tantas outras. “”Este é mais um dos desafios que o empreendedorismo digital impõe””, conta.

VI. Trabalho é sempre trabalho

Embora seja vantajoso em diversos aspectos, empreender na web não pode ser encarado como algo tranquilo ou livre de responsabilidades. “”Por isso, não gosto da expressão ‘‘ganhar dinheiro online’’; prefiro a linha ‘‘ter um negócio online'”’”, explica Camila. A especialista conta que é preciso suar muito para conquistar bons faturamentos. “”Para o negócio ser financeiramente saudável, é preciso ter um fluxo de caixa, previsibilidade de receitas e despesas, entradas recorrentes e controle do que entra e do que sai”, explica, lembrando dos ensinamentos básicos para qualquer negócio, seja em qual plataforma for. Por fim, a especialista destaca a importância de se fazer o que se ama. ““Não monte algo apenas pelo dinheiro. Esse é o pior motivo para qualquer pessoa empreender””, conclui.

VII. A internet acaba com os antigos paradigmas de trabalho

O último mito que Camila propõe quebrar é o de que trabalho precisa ter aquele conceito de 40h semanais. “”Se você entende que trabalhar não é algo chato, você entende que pode trabalhar 24h por dia ou 4h por semana e ser efetivo quando trabalha””, resume. A especialista destaca que, com as novas oportunidades, passamos a entender que trabalhar mais tempo não significa necessariamente trabalhar melhor. ““Além disso, quem trabalha pela internet sabe que pode trabalhar em qualquer lugar e isso é libertador””, explica. Assim, ao empreender online é possível remodelar totalmente os conceitos de trabalho. “”Seguir uma regra criada há décadas não faz sentido no mundo de hoje””.

 

Camila Porto é especialista em marketing digital
e autora do livro Facebook Marketing.