Gestão

Estudo revela perfil do público da 25 de março

24 de Janeiro de 2018

A matéria “Estudo revela perfil do público da 25 de março” foi originalmente publicada na edição 182 da Revista Sindilojas-SP

O diversificado público que frequenta o maior centro de comércio popular da América Latina foi alvo de um estudo inédito feito pela Serasa Experian entre fevereiro e agosto de 2017. Entre as conclusões, destacou-se que a região da Rua 25 de Março – no centro da cidade de São Paulo – tem entre seus visitantes um grupo composto por Jovens Adultos da Periferia, com representação de 29,49% nesse estudo que levou em conta os dados socioeconômicos, demográficos, geográficos, comportamentais, de consumo e estilo de vida dos compradores.

Quem

O grupo de Jovens Adultos da Periferia, composto por moradores adultos de até 35 anos das periferias da cidade, é um dos protagonistas da ascensão da nova classe média brasileira e o que detém o maior percentual entre os 11 grupos dominantes da população brasileira, reunindo 20,44% dos cidadãos. Já o grupo Elites Brasileiras, que engloba adultos acima de 30 anos, com alta escolaridade, bem-empregados ou donos do próprio negócio, desfrutando de alto padrão de vida, foi o segundo que mais visitou a 25 de março, com 17,94% do total.

Em terceiro lugar na lista de visitantes da região no período está o grupo Massa Trabalhadora Urbana, constituído predominantemente por homens e mulheres casados, com baixa remuneração, ocupando atividades associadas ao trabalho manual, vivendo em grandes centros urbanos. Este grupo representa 12,64% dos visitantes.

Em seguida, aparece outro grupo com bom padrão de vida, chamado de Experientes Urbanos de Vida Confortável (11,00%), que representa moradores de áreas urbanas, maduros, com mais de 50 anos. São profissionais bem estabelecidos ou já aposentados. Usufruem agora do padrão de vida confortável conquistado com o trabalho.

Os percentuais chamam a atenção pelo alto número de consumidores do grupo Elites Brasileiras que frequentam as áreas de comércio popular, já que o percentual de frequentadores é maior do que a representatividade nacional do grupo na população brasileira (4,16%).  Se somados os grupos Elites Brasileiras e Experientes Urbanos de Vida Confortável, ambos com alto padrão de vida, o percentual de visitantes da 25 de março chega a 28,94%, número maior do que a representatividade dos dois grupos na população brasileira, que é de apenas 8,02%.

Quando

No período analisado, o dia da semana que concentrou mais visitas foi o sábado, com 22,20% do total. Os outros dias apresentam um número mais balanceado de visitantes, cerca de 15%, com exceção do domingo que mostrou queda acentuada, com apenas 3,9% de visitantes.

Os dados também revelaram que 75% das visitas realizadas aos estabelecimentos da região da 25 de março duraram até uma hora. O levantamento mediu o tempo de duração das visitas a locais da área analisada, ou seja, locais nos quais os visitantes permaneceram durante o período de análise. Não foi considerado o tempo em que os visitantes se movimentaram pela região. Dessa forma, a maioria das visitas duram até 30 minutos e 15% ficam entre 30 minutos e uma hora.

O estudo foi feito a partir da Real World Audience (RWA), primeira plataforma brasileira baseada em dados anônimos de geolocalização e sócio-demográficos que permitem entender melhor o comportamento do consumidor para direcionar campanhas de marketing.