Pages Menu
Facebook
Categories Menu

Posted on 09/09/16 in Gestão Empresarial

Muito cuidado com as falsas cobranças encaminhadas à sua loja

Cada vez mais ousados e inventivos, golpistas têm se utilizado de todas as abordagens possíveis e imagináveis para roubar dados pessoais e empresariais, no intuito de aplicar cobranças subsequentes por meio de boletos falsificados emitidos, na maioria das vezes, por e-mail ou correspondência.

Sem o menor pudor, quadrilhas e cibercriminosos continuam falsificando faturas em nome de entidades associativas e órgãos públicos, fazendo-o tão bem que os mais desavisados nem mesmo desconfiam se tratar de um golpe. Para se ter uma ideia, eles são até mesmo capazes de alterar o código de barras de boletos que já costumam ser pagos pelas empresas, direcionando assim a quantia então investida para outras contas. O que fazer, então, para não cair em armadilhas assim?

Em primeiro lugar, é importante que os empresários tenham consciência de que NENHUM boleto deve ser pago antes de se ter plena certeza da sua procedência. Essa é a primeira medida preventiva a se tomar. Sempre que receber uma correspondência suspeita, cheque todas as informações contidas no documento e contate o órgão apontado como remetente. O mesmo procedimento deve ser tomado para as cobranças recebidas por e-mail: se a mensagem é suspeita, delete-a sem abrir. Caso já a tenha aberto, JAMAIS clique sobre qualquer anexo ou link contido nela. Jamais.

Há casos em que os criminosos abordam a vítima por telefone. Na maioria das vezes, passam-se por fiscais ou procuradores. Se você sentir uma ‘pulguinha atrás da orelha’, não lhe dê corda. Interrompa a conversa e verifique a procedência do telefone e de eventuais outros dados que tenham sido captados durante a tentativa de golpe. Reforçando: sempre averigue a procedência daquilo que está sendo exigido de você.

Repassando a lição, antes de finalizar este recado:

  • e-mails duvidosos: apague-os sem abrir.

 

  • Boletos suspeitos: procure pelo site da empresa. Não tem? Desfaça-se do documento.

 

  • Cobranças por telefone: verifique a procedência do autoproclamado profissional no outro lado da linha.

Lição tomada, basta apenas se precaver. Olho vivo, empresário.