Gestão

Namorados devem gastar mais com presentes, aponta pesquisa

11 de junho de 2018

Mesmo com a crise, pesquisa aponta que 48% dos consumidores pretendem ampliar valor gasto para presentear parceiro; roupa é a principal escolha

Apesar da crise, o dia dos namorados promete ser mais “gordo” do que o do ano passado. Enquanto 48% dos consumidores pretender gastar mais presenteando o parceiro, apenas 12% pretendem diminuir o montante investido. Outros 40% devem gastar o mesmo que no ano passado. Os dados fazem parte de uma pesquisa divulgada pelo Datacenso, empresa especializada em pesquisa e inteligência de mercado.

As roupas lideram a preferência na hora de escolher o presente, sendo a opção de 34% dos consumidores. Na sequência aparecem experiências gastronômicas e calçados, cada um com 18%; joias ou relógios, com 16% e bolsas e acessórios, com 13%. Completam a lista utilidades domésticas (12%); perfumes e cosméticos (12%); chocolates (12%); flores (11%) e livros (6%).

Claudio Shimoyama, CEO do Grupo Datacenso, explica que a intenção de gastar mais com o presente para a data deve-se à retomada do otimismo do consumidor em relação à economia brasileira. “No período mais crítico do cenário econômico do país, o consumidor optou por realizar mudanças de hábitos, com cortes no orçamento. Entretanto, é um cenário que está mudando”, diz.

O estudante Henrique Almeida, 23, faz parte dessa estatística e já escolheu: vai presentear a namorada, com quem se relaciona há dois anos, com uma jaqueta. Também pretende levá-la para jantar. “Acredito que vou gastar perto de R$ 100. No ano passado, gastei R$ 60”, conta. 

MUDANÇA DE HÁBITO…

Setenta e seis porcento dos entrevistados apontaram que no período mais crítico da economia brasileira, realizaram mudanças de hábitos visando à redução de gastos. O lazer foi a área mais atingida, sendo a escolhida para cortes para 71% dos entrevistados. Supermercado (46%), TV a cabo (32%) e diminuição no uso de veículos (15%) também sofreram mais intensamente os reflexos da crise.

Apesar dos dados, quem mudou os hábitos de consumo no último ano acredita que a situação irá melhorar nos próximos meses: 36% se disseram esperançosos com a economia, enquanto 21% se disseram preocupados com o futuro da economia.

… E NAS PROMOÇÕES

Para Andrea Bigaiski, diretora de Negócios para Shopping do Grupo Datacenso, a forma de atrair clientes nos shoppings contribui com esse cenário. “Os shoppings procuram hoje ações que sejam experiências, proporcionar algo diferente e não sorteio de brindes. Interações, tecnologia, e gastronomia são alguns dos temas que envolvem as campanhas”, conta ela, que ressalta que a data é a terceira mais movimentada do comércio no Brasil, perdendo apenas para o Dia das Mães e Natal.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 22 de maio, ouviu 400 pessoas, sendo: 51% homens e 49% mulheres, com idades que variam entre 18 a 65 anos e faixa de renda entre um e dez salários mínimos. O grau de confiança da pesquisa é de 95%.

SOBRE A DATACENSO

Fundado em 23 de abril de 1995, o Grupo DataCenso é, há mais de 23 anos, sinônimo de excelência em serviços de Pesquisa, Inteligência de Mercado e Marketing. Desenvolve estudos e estratégias inteligentes, visando auxiliar e orientar seus clientes para tomadas de decisão mais seguras e assertivas em seus negócios.

Suas operações estão segmentadas em três núcleos de Inteligência: Datacenso Pesquisas Mercadológicas, Datacenso Pesquisas Sociais e Políticas e Datacenso Consultoria e Palestras.