Gestão

Meio ambiente: participação dos empresários ganha destaque

11 de junho de 2018

Em 5 de junho, o mundo comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente e, em 2018, a ONU Meio Ambiente (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA) elegeu como tema a poluição plástica. A data é uma oportunidade para sensibilizar e alertar a sociedade para a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos. Segundo a ONU Meio Ambiente, por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas e metade do plástico consumido é descartável.
A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) participa da elaboração dos acordos setoriais que determinam as responsabilidades da indústria, do comércio e dos consumidores na logística reversa (LR) pós-consumo, que envolve todos os processos de recebimento e destinação do resíduo para reaproveitamento na cadeia produtiva ou descarte adequado. Os acordos setoriais integram a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), estabelecida pela Lei nº 12.305/2010.

Algumas iniciativas de logística reversa foram implantadas antes da PNRS, como a de pneus inservíveis; embalagens de agrotóxicos; óleo lubrificante usado ou contaminado (Oluc); e pilhas e baterias. Outros acordos foram criados e estão em implementação para dar conta da LR de embalagens plásticas de óleos lubrificantes; lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; produtos eletroeletrônicos e seus componentes; embalagens em geral (incluindo sacolas plásticas); e resíduos de medicamentos e suas embalagens.

Com a necessidade cada vez maior de que os modelos corporativos das empresas prevejam a adoção de práticas que reduzam os impactos ambientais e gerem benefícios econômicos e sociais, a participação dos empresários ganha destaque.

Fonte: Confederação Nacional do Comércio