Gestão

Cinco dicas de recuperação para empresas que apresentam sinais de declínio

29 de abril de 2022

Você sabia que a falta recorrente de dinheiro no caixa da empresa é um sinal evidente de declínio? De acordo com o gestor financeiro Vinícius Guarnieri, quando isso ocorre o empresário acredita que o problema tenha começado naquele mês, no entanto a falta de dinheiro no caixa denota problemas anteriores.

Vinícius Guarnieri é o autor do livro ‘Consciência Transformadora – Transformando pessoas e recuperando empresas’ (disponível na internet). Na obra, ele expõe oito anos de experiência na condução de empresas de vários segmentos que precisaram ser reestruturadas, recuperadas, e aponta o caminho para o empresário atingir o lucro nos negócios. Para evitar que a sua empresa entre em declínio, Guarnieri apresenta cinco dicas de como reverter essa situação.

1. Empresário sonhador

Para o gestor, o sonho é a centelha que dá início ao negócio e move o empreendedor a buscar metas. Todavia, sonhar sem um planejamento financeiro que encaixe no patamar de custos possível à organização, sem visar efetivamente o lucro real e sem inspirar pessoas, colaboradores e fornecedores, a darem sempre o melhor, não resultará no progresso da empresa. “Sonhar por sonhar leva muitos empreendedores ao fracasso”, alertou.

2. Fator que pode prejudicar um empreendedor no primeiro negócio

Segundo Vinícius, a falta de visão quanto aos empecilhos naturais do caminho, associada à euforia amadora, pode atrapalhar esse processo. “Quando não se tem preparo, é como o navegante de primeira viagem, com excesso de autoconfiança, que entra no barco sem uma bússola”, comparou o gestor.

3. Como fazer a contratação de colaboradores para uma empresa familiar

Priorizar as competências dos candidatos a determinado cargo, em vez de colocar à frente o grau de parentesco, a amizade ou o relacionamento que caracteriza intimidade com esse candidato, é fundamental segundo Guarnieri. “As contratações erradas é o que leva empresas, no curto prazo, ao desequilíbrio que reflete a baixa produtividade. Fruto da intimidade e da pouca cobrança de resultados das tarefas pré-estabelecidas”, explicou.

4. Líder facilitativo e os impactos desse tipo de liderança em uma organização

De acordo com o gestor financeiro, a liderança facilitativa tem um enfoque na inovação e na produtividade, provocando a transformação individual e coletiva em seres mais adaptativos e responsáveis. “Esse modelo de liderança considera que a colaboração é o exponencial máximo do exercício. Uma cultura de colaboração nas empresas traz impactos positivos, como: o aumento da qualidade das decisões e resultados; maior compromisso individual e da equipe e maior rapidez na execução das ações”, enumerou Vinícius.

5. Controle de custos da empresa

A última orientação passada pelo gestor financeiro é que, após os custos se encaixarem no patamar que a empresa permite, não acredite que seja preciso aumentar qualquer custo. “O lucro será atingido, se os custos forem bem controlados e mantidos, não pelo aumento da receita”, alertou.

Sobre Vinícius Guarnieri: É educador financeiro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN); consultor especialista em recuperação e reestruturação de empresas e treinamentos de equipes e desenvolvimento pessoal, além de ser palestrante, professor universitário, escritor e autor de vários livros.

×

Olá!

Clique no logo abaixo para conversar pelo WhatsApp com o Sindilojas-SP ou envie um email para faleconosco@sindilojas-sp.org.br

× Como posso te ajudar?